Pela 1ª vez desde 2014, há mais dinheiro brasileiro do que estrangeiro na Bolsa


Valor

Pela 1ª vez desde 2014, há mais dinheiro brasileiro do que estrangeiro na Bolsa

Pela primeira vez desde 2014, o investidor brasileiro é maioria na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). No ano passado, com a queda na taxa de juros para o menor patamar da história, a participação do capital nacional no mercado de ações ultrapassou a do estrangeiro – 52% ante 48% (ver gráfico) – e sustentou a alta do Bolsa paulista. A expectativa para 2020 é que esse movimento se mantenha diante da crescente demanda interna, com investidores em busca de novas alternativas para remunerar o capital. “A Bolsa não está supervalorizada. Há fundamento para a valorização de muitas empresas”, corrobora Alexandre Silverio, CIO da AZ Quest. Por Renée Pereira

Clique aqui para acessar a matéria completa no site do Estado de S. Paulo.